Eu quero dividir com vocês uma coisa muito bacana sobre autoimagem. Houve um dia que eu e o Kioshi realizamos uma consultoria do método AKI no espaço que nós temos, então eu gostaria de refletir sobre algumas coisas que percebi com esse dia. Na verdade, antes de começar, eu vou fazer uma pergunta para você:

A sua imagem transmite aquilo que você gostaria? Transmite a mensagem que você gostaria de passar? Ela transmite o que você realmente é?

O que significa autoimagem?

A autoimagem representa a maneira como você se enxerga, seja na sua forma física, emocional, social, interna e em diversos outros papéis que atuamos diariamente.

Quais são os pensamentos que você tem de si mesma? Essa resposta representa a sua autoimagem, assim como os seus traços físicos e psicológicos, os pontos positivos e o que precisa melhorar, as possibilidades e limitações, as forças e fraquezas.

Todos esses itens representam a sua autoimagem. Você conhece cada um deles a respeito do seu próprio eu? Por isso é tão importante que você pratique o autoconhecimento. Aliás, como anda a sua autoestima? Você sabia que ela está relacionada com a autoimagem?

A opinião que você possui sobre si mesma, a forma que você se enxerga e, até mesmo, se você entrega prioridade para si mesma pode influenciar diretamente na definição da sua autoestima, ou seja, se ela vai ser baixa ou elevada.

Construindo a autoimagem com o método AKI

Nós realizamos uma transformação na Adna (minha prima linda <3) que veio fazer a consultoria com a gente. Eu achei super bacana porque ela queria transmitir confiança e empoderamento, mas o curioso é que ela se sentia assim internamente – e descobrimos isso por meio das pesquisas que realizamos, pois há todo um estudo com esse método.

Contudo, quando ela se olhava no espelho não conseguia sentir exatamente isso. Na verdade, a Adna sentia que a sua imagem não passava essa confiança que pulsava em seu interior.

O método AKI trabalha com a técnica de visagismo, simetria facial e colorimetria para trazer a essência, o temperamento, aquilo que a pessoa é, e, é claro, o que ela gostaria de transmitir. Até porque, nem sempre o que somos nós gostaríamos de transmitir às pessoas, não é mesmo?

Posso dizer que foi realmente incrível, porque durante todo o processo a gente conseguiu visualizar uma evolução muito legal. Além disso, no final, nós conseguimos trazer esse empoderamento, essa confiança, que a Adna já possuía, mas ela não sentia isso na sua imagem.

Você está cuidando da sua autoimagem?

Então, eu volto a perguntar novamente para você: A sua imagem transmite aquilo que você gostaria? Você sabe quais cores combinam com você e que harmonizam com o seu tom de pele? Você sabe qual é o seu subtom de pele? Você se sente confiante e se sente bem com a sua imagem ao se olhar no espelho?

E eu não estou perguntando somente referente à beleza, já que a gente fala muito da maquiagem, do cabelo e tudo mais. Mas a sua imagem condiz com quem você é em si? É muito interessante começar a pensar o quanto da nossa imagem é impactante para o universo que está à nossa volta.

Aliás, pequenos detalhes ou pequenas mudanças sutis, seja o que for, conseguem mudar totalmente o posicionamento da pessoa. Já que ela passa a se tornar uma pessoa mais confiante e acreditar mais em si mesma, acreditar de fato naquilo que a pessoa é.

Comece a se questionar e a refletir sobre você mesma

Então, eu quero que vocês pensem nisso, ou até que vocês comentassem aqui embaixo: Você está satisfeita com a sua imagem? A sua imagem realmente condiz com quem você é? Você sabe quais são as coisas que te favorecem, seja no cabelo, na maquiagem ou nas roupas? Você já ouviu falar do visagismo?

Eu gostaria de conhecer um pouco, de saber se vocês estão por dentro do assunto, se vocês se autoconhecem ou estão procurando se autoconhecer. Porque isso é muito importante, não só em questão da imagem mas para você estar bem consigo mesma, conseguir acreditar mais em você.

Há um propósito incrível em meu trabalho

A minha maior missão hoje é ajudar, principalmente as mulheres, a se encontrarem por meio da imagem. Porque, às vezes, a gente fica perdida no meio de tantas obrigações que a sociedade nos impõe, ainda mais para as mulheres. Desde ser uma boa mãe, ser mulher, ser uma boa empregada (no sentido de trabalhar).

Ou então, você ser uma ótima empresária e ainda ter que cuidar do marido e das obrigações de casa ao mesmo tempo.

São tantas tarefas que nós temos que assumir todos os dias que acabamos esquecendo de nós mesmas. Qual é a minha imagem? Quem eu sou? Será que a forma que eu me arrumo ou me vejo no espelho condiz com quem eu sou? Condiz com quem realmente está aqui dentro?

Simples mudanças podem causar grandes impactos

Eu acho muito legal essa reflexão! Às vezes, a gente faz mudanças externas sutilmente com pequenos detalhes: um corte, uma cor de cabelo diferente ou uma maquiagem e isso muda todo o contexto. Pois traz toda aquela confiança, transmite aquele carinho, empoderamento, autoridade…

Tudo O que uma mulher gostaria de transmitir!

http://alineandrade.com.br/curso-de-maquiagem-linda-pra-mim/

Mas é claro que isso varia de pessoa para pessoa, já que há mulheres que gostariam de passar mais amorosidade. Enquanto outras preferem passar mais empoderamento, ser uma mulher chique ou até mesmo ser dominante.

Para finalizar, fica aí a pergunta: A sua imagem condiz realmente com quem você é? Quero que vocês reflitam um pouco nisso. Comecem a pensar no autoconhecimento e no autocuidado, pois isso é muito importante.

Essa é a minha missão!

Espero que vocês tenham gostado desse pensamento de hoje, pois queria muito compartilhar essa ideia com vocês. Não esquece de comentar o que você achou do conteúdo de hoje, compartilhe nas redes sociais com os amigos para que eles também possam se questionar e refletir sobre esse assunto.

Um super beijo e até a próxima!